Oca do Cacique Beira-Mar -Templo Escola de Umbanda
"A missão não envaidece, responsabiliza" (Cacique Beira-Mar)
CapaCapa TextosTextos ÁudiosÁudios PerfilPerfil Livro de VisitasLivro de Visitas LinksLinks
Textos

A LINHA MINERAL OU DO AMOR: OXUM

 


ORIGEM E SIGNIFICADO DO NOME “OXUM”

O nome Oxum provém do nome de um rio em Oxogbo, localizada na província de Ibadã na Nigéria. Esse é o significado do nome Oxum, Rio, não à toa as águas doces são relacionadas a esta Iabá.

ORIGEM DO CULTO A OXUM

O culto a Oxum se deu na África, na região nagô-yoruba (onde hoje é a atual Nigéria e parte da República do Benin), precisamente na cidade de Ijexá. Oxum, na África, é também chamada de Yalodé, que é também um cargo ocupado nas tribos pela mulher mais sábia.
 
CONTEXTO AFRICANO 

De acordo com alguns ithãs africanos, Oxum foi a segunda esposa de Xangô, mas teria vivido, entre outras épocas, também com Ogum e Oxóssi. Sua morada é nas cachoeiras e rios de água doce, onde se costumam lhe entregar comidas e presentes. Apesar da marca forte que Oxum carrega de Maternidade (assim como Yemanjá), é geralmente associada e representada por uma deusa jovem.

Foi rainha de Oyó, onde as mulheres que desejavam engravidar procuravam-na, sendo respeitadíssima como sacerdotisa. È também considerada a deusa da beleza e do dinheiro, sendo a ela atribuído um gosto reinado por tudo que é caro. Para os nagôs, a cor está associada ao sangue (ejé) contido nas regras menstruais. No Brasil, associa-se Oxum ao ouro; afinal é o metal mais valioso que conhecemos.

Por sua beleza coquete e faceira, Oxum conquistou vários amores, mostrando sua docilidade. Sua dança insiste nesse aspecto: imita os gestos delicados de uma mulher sensual que toma banho no rio, usa um pente de tartaruga, admira-se observando sua face no espelho, abana-se com um leque, sempre com muita graça e usa pulseiras de metal (ides).

Como acontece com todos os outros orixás, existem diversos tipos de Oxum, de acordo com a proximidade de uma tribo ou a profundidade de um rio.  Oxum pode ser maternal, uma jovem sacerdotisa ou uma guerreira.

O abebê (espelho) e o leque fazem parte de sua indumentária,  juntamente com roupas vistosas.

Seu principal alimento é chamado sangue branco, o mel, que é nutriente por excelência.
 
QUALIDADES DE OXUM NO CANDOMBLÉ

Em síntese e de modo geral, as qualidades de Oxum no Candomblé são:

– OXUM ABALÔ é uma velha Oxum, de culto antigo, considerada Iyá Ominibú, tem ligação com Iansã, Ogum e Oxóssi, veste-se de cores claras, usa abebé e alfange.
 
– OXUM IJÍMU ou Ijimú, é outro tipo de Oxum velha. Veste-se de azul claro ou cor de rosa. Leva abèbé e alfange, tem ligação com as Iyamís, é responsável por todos os Otás dos rios.
 
– OXUM ABOTÔ  também uma velha oxum de culto antigo, ligada as Iyamís, feiticeira, carrega abebe e alfange, tem ligação com Nanã, Iansã de culto Igbalé.
 
– OXUM OPARÁ ou Apará seria a mais jovem das Oxum, e um tipo guerreiro que acompanha Ogum, vivendo com ele pelas estradas; dança com ele quando se manifestam, juntos numa festa; leva uma espada na mão e pode vestir-se de cor de marrom avermelhado, a Senhora da Espada.
 
– OXUM AJAGURA ou AJAJIRA, outra Oxum guerreira que leva espada, jovem, tem ligação com Yemanjá e Xangô
 
– YEYE OKE Oxum jovem guerreira, muito ligada a Oxóssi, carrega ofa e erukere.
 
– YEYE ÌPONDÁ  é também uma Oxum Guerreira ligada a Ibuálàmò. Yeye Pondá é rainda da cidade que leva seu nome Ìponda, leva uma espada e veste-se de amarelo ouro e branco quando acompanha Oxaguiã.
 
– YEYE OGA é uma Oxum velha e muito guereira, carrega abebe e alfanje
 
– YEYE KARÉ é um Oxum jovem e guereira, ligada a Odé Karè, Logun edé.
 
– YEYE IPETU é uma Oxum de culto muito antigo, no interior da floresta, na nascente dos rios, ligada a Ossaiyn e principalmente a Oyá dada a sua ligação com Egun.
 
– YEYE AYAALÁ- é talvez a mais ancestral dentre todas, veste-se de branco, ligada a Orunmilá e as iyamis, considerada a avó.
 
-YEYE OTIN- Oxum com estreita ligação com Ínlè, ligada a caça e usa ofá e abebé.
 
-YEYE IBERÍ ou merimerin- Oxum nova,  concentra a vaidade e toda beleza e elegância de uma Oxum, dizem que ser a Oxum de mãe menininha do Gantois.
 
YEYE MOUWÒ- Oxum ligada a Olokun e Yemanjá, grande poder das iyamís, veste-se de cores claras e usa abebé e ofange.
 
YEYE POPOLOKUN- Oxum de culto raro, ligado aos lagos e lagoas.
 
-YEYE OLÓKÒ- Oxum guerreira , vive na floresta nos grandes poços de água, padroeira do pôço.
 
Compartilhei acima as qualidades de Oxum no Candomblé apenas para efeito de conhecimento, pois, na Umbanda que praticamos, não denominamos qualidades ou diginas as diversas maneiras que Oxum tem de manifestar-se por meio de seus filhos, antes temos o entendimento de que Oxum se manifesta em campos de outros orixás. Logo, antes de nos perguntarmos qual a qualidade ou digína de sua Oxum, perguntamos: “qual o campo de atuação de sua Oxum”, que, tendo como base as sete linhas de Umbanda, com 14 (catorze) orixás polarizados em pares de 7 (sete) orixás, podem ser 13 (treze) campos de atuação, compreendido?

ALGUMAS LENDAS SOBRE OXUM

PRIMEIRA LENDA

“Quando todos os orixás chegaram a terra, organizaram reuniões onde as mulheres não eram admitidas. Oxum ficou aborrecida por ser posta de lado e não poder participar de todas as deliberações. Para se vingar, tornou as mulheres estéreis e impediu que as atividades desenvolvidas pelos deuses chegassem a resultados favoráveis. Desesperados, os orixás dirigiram-se a Olodumaré e explicaram-lhe que as coisas iam mal sobre a terra, apesar das decisões que tomavam em suas assembleias. Olodumaré perguntou se Oxum participava das reuniões e os orixás responderam que não. Olodumaré explicou-lhes então que, sem a presença de Oxum e do seu poder sobre a fecundidade, nenhum de seus empreendimentos poderia dar certo. De volta a terra, os orixás convidaram Oxum para participar de seus trabalhos, o que ela acabou por aceitar depois de muito lhe rogarem. Em seguida, as mulheres tornaram-se fecundas e todos os projetos obtiveram felizes resultados” .

 
SEGUNDA LENDA

Oxum era muito bonita, dengosa e vaidosa. Como o são, geralmente, as belas mulheres. Ela gostava de panos vistosos, marrafas de tartaruga e tinha, sobretudo, uma grande paixão pelas jóias de cobre. Antigamente, este metal era muito precioso na terra dos iorubas. Só uma mulher elegante possuía jóias de cobre pesadas. Oxum era cliente dos comerciantes de cobre.

Omiro wanran wanran wanran omi ro! "A água corre fazendo o ruído dos braceletes de Oxum!"

Oxum lavava suas jóias antes mesmo de lavar suas crianças. Mas tem, entretanto, a reputação de ser uma boa mãe e atende as súplicas das mulheres que desejam ter filhos. Oxum foi a segunda mulher de Xangô. A primeira chamava-se Oiá-Iansã e a terceira Obá. Oxum tem o humor caprichoso e mutável. Alguns dias, suas águas correm aprazíveis e calmas, elas deslizam com graça, frescas e límpidas, entre margens cobertas de brilhante vegetação.

Numerosos vãos permitem atravessar de um lado a outro. Outras vezes, suas águas tumultuadas passam estrondando, cheias de correntezas e torvelinhos, transbordando e inundando campos e florestas. Ninguém pode atravessar de uma margem para a outra, pois nenhuma ponte faz a ligação. Oxum não toleraria uma tal ousadia! Quando ela está em fúria, ela leva para longe e destrói as canoas que tentam atravessar o rio.

Olowu, o rei de Owu, ia para a guerra seguido de seu exército. Por infelicidade, tinha que atravessar o rio num dia em que este estava enfurecido. Olowu fez a Oxum uma promessa solene, entretanto, mal formulada. Ele declarou: "Se você baixar o nível de suas águas, para que eu possa atravessar e seguir para a guerra, e se eu voltar vencedor, prometo a você nkan rere", isto é, boas coisas. Oxum compreendeu que ele falava de sua mulher, Nkan, filha do rei de Ibadan. Ela baixou o nível das águas e Olowu continuou sua expedição.

Quando ele voltou, algum tempo depois, vitorioso e com um espólio considerável, novamente encontrou Oxum com o humor perturbado.  O rio estava turbulento e com suas águas agitadas. Olowu mandou jogar sobre as vagas toda sorte de boas coisas, as nkan rere prometidas: tecidos, búzios, bois, galinhas e escravos; mel de abelhas e pratos de mulukun, iguaria onde misturam-se suavemente cebola, feijão fradinho, sal e camarões. Mas Oxum devolveu todas estas coisas boas sobre as margens.

Era Nkan, a mulher de Olowu, que ela exigia. Olowu foi obrigado a submeter-se e jogar a sua mulher nas águas. Nkan estava grávida e a criança nasceu no fundo do rio. Oxum, escrupulosamente, devolveu o recém-nascido dizendo: "É Nkan que me foi solenemente prometida e não a criança. Tome-a!" As águas baixaram e Olowu voltou tristemente para sua terra. O rei de Ibadan, sabendo do fim trágico de sua filha, declarou indignado: "Não foi para que ela servisse de oferenda a um rio que eu a dei em casamento a Olowu!"

Ele guerreou com o genro e o expulsou do país. O rio Oxum passa em um lugar onde suas águas são sempre abundantes. Por esta razão é que Larô, o primeiro rei deste lugar, aí instalou-se e fez um pacto de aliança com Oxum. Na época em que chegou, uma das suas filhas fora banhar-se. O rio a engoliu sob as águas. Ela só saiu no dia seguinte, soberbamente vestida, e declarou que Oxum a havia bem acolhido no fundo do rio. Larô, para mostrar sua gratidão, veio trazer-lhe oferendas.

Numerosos peixes, mensageiros da divindade, vieram comer, em sinal de aceitação, os alimentos jogados nas águas. Um grande peixe chegou nadando nas proximidades do lugar onde estava Larô. O peixe cuspiu água, que Larô recolheu numa cabaça e bebeu, fazendo, assim, um pacto com o rio. Em seguida, ele estendeu suas mãos sobre a água e o grande peixe saltou sobre ela.

Isto é dito em ioruba: Atewo gba ejá. O que deu origem a Ataojá, título dos reis do lugar. Ataojá declarou, então: Oxum bgô! "Oxum está em estado de maturidade, suas águas são abundantes." Dando origem ao nome da cidade de Oxogbô. Todos os anos faz-se, aí, grandes festas em comemoração a todos estes acontecimentos.

OXUM NA UMBANDA SAGRADA: O TRONO FEMININO MINERAL OU DO AMOR

É curial que eu compartilhe aqui o entendimento que detemos acerca de Oxum na Umbanda Sagrada (uma vertente da Umbanda, e a que temos maior influência em nosso Templo). Oxum, no nosso entendimento doutrinário e teológico, faz parte da segunda linha de Umbanda, denominada Linha Mineral (por ser o mineral elemento desta linha) ou do Amor (principal sentido divino trabalhado por Oxum). Nessa linha, a orixá Oxum se polariza com o orixá Oxumaré, que estudaremos no próximo texto.

Um dos principais fatores que Oxum trabalha é o fator conceptivo, ou seja, Oxum atua concebendo o amor dentro dos seres espirituais, não importando qual a realidade, dimensão ou plano que estes seres habitem. Mãe Oxum neste plano, que denominamos o sexto plano da criação dentro da gênese divina que adotamos, é positiva, irradiadora e universal. Mas  que significa isso? Quando digo que ela é positiva, significa que no campo do amor é ela quem positiva dentro de nós as qualidades e virtudes relacionadas ao amor. Quando digo que é irradiadora, significa que, tudo que é relacionado com o sentido divino do amor é irradiado, emanado por ela. E quando digo que ela é universal, significa que, todo tempo Oxum está atingindo a todos, independentemente de suas vontades, com o amor que provém de Deus. Oxum é conceptiva (lembra?), ou seja, ela está todo tempo concebendo esse amor dentro dos seres. Oxum também possui diversos outros fatores sob os quais trabalha, como o ator atrator, aderidor, reunidor, aglutinador, aproximador, fecundador, prosperador, dentre outros.

ARQUETIPO DOS FILHOS (AS) DE OXUM (AS)

As filhas de oxum possuem as seguintes características:

NO POSITIVO:

 
Vaidosas (em grau elevado; gostam de se sentirem sempre bonitas, de estarem bem vestidas, maquiadas, etc.)
Graciosas
Meigas
Delicadas
Pacientes
Cuidadoras
Bondosas
Compreensivas
Sensíveis
Emotivas e choronas
ntuitivas
Possuem fala suave
Possuem maneiras agradáveis
Não gostam de brigas e confusões
Gostam de lugares tranquilos
São sensuais (não são nem magras nem gordas, e costumam chamar a atenção pela beleza física; são atraentes.)
Gostam de coisas caras: roupas, joias, e outros.
Etc.
NO NEGATIVO:
 
Inseguras
Dramáticas (costumam fazer drama)

Ciumentas
Egoístas
Carentes
Mimadas
Fazem drama por tudo
Vivem em busca de aprovação e amor dos outros
Murmuradoras
Etc.

 
OBS. A depender do local que se tenha Oxum ( De frente, no Juntó ou Ancestre) essas características podem ter leve variação, manifestando-se em proporcionalidade diferentes.

INFORMAÇÕES BÁSICAS SOBRE OXUM


Saudação: Ora ie ie ô (significa: “vem brincar nas águas”)

Cor: Amarelo Ouro e Rosa (cores principais, existem outras)

Elemento: Mineral (Principalmente as pedras) (a água doce também é atribuída a Oxum)

Ponto de Força: Cachoeiras

Sincretismo: Virgem Maria, Nossa Senhora da Conceição, e outras.

Data Comemorativa: 08 de Dezembro (Dia de Nossa Senhora Imaculada Conceição)

Dia da Semana:  Sábado (em nosso terreiro comemoramos no sábado)

Instrumento: Abebê

A NECESSIDADE DE UM (A) FILHO (A) DE OXUM

A grande necessidade de um filho (a) de Oxum é desenvolver o amor em todos os campos de sua vida, sem isso, provavelmente um  (a) filho (a) de Oxum ficará com a sensação em seu coração de que falta algo para lhe completar, para dar sentido a sua vida, como se não tivesse cumprindo a sua missão nesta atual encarnação.

As filhas de Oxum precisam aprender a serem mais amorosas, compreensivas, a saberem cuidar com o coração, com empatia. Ela também ensina o amor-próprio, o cuidado consigo mesma, a beleza e a sensualidade. Precisam cuidar para não viverem esperando a aprovação e o amor dos outros.
 

Dúvidas e Perguntas: 
E-mail: jaderoliveira.j@hotmail.com
Oca do Cacique Beira Mar Templo Escola de Umbanda
Enviado por Oca do Cacique Beira Mar Templo Escola de Umbanda em 15/11/2016
Alterado em 24/07/2017

Música: 13- Oxum - Arlette Moita - Desconhecido

Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

"Deus não só faz  Justiça, Deus é a Própria Justiça". (Baiano Zé do Coco)





"A melhor firmeza é a do coração". (Caboclo Beira Mar)





"Quando a vida está ruim, o Rosário é um simbolo que nos indica como buscar ajuda" (Pai Antonio de Angola).





"Quem vive com Ogum, Ogum não abandona nem após morte". (Marinheiro Martim Pescador).






"Não são os encarnados, filhos de santo, falhos, pequenos, errantes por natureza que dirão se uma entidade é ou não de luz, mas a própria entidade com suas obras de caridade." (Baiano Zé do Coco)